jusbrasil.com.br
30 de Março de 2020

Fake News: Temer revoga decreto imperial e advogado não é mais doutor

Notícia que circulou ontem (09/10) em todas as redes sociais afirmando a revogação do Decreto é falsa.

Andressa Garcia, Advogado
Publicado por Andressa Garcia
há 2 anos

Não é de hoje que as Fake News (Notícias Falsas) causam um alvoroço nas redes sociais, porém a que circulou ontem afirmando que o atual Presidente Michel Temer teria revogado o Decreto Imperial de 11 de agosto de 1827 que institui os cursos jurídicos no Brasil e concedeu em seu artigo 9º o título de 'Doutor' aos advogados, apesar de divulgada em fontes não confiáveis, ganhou a credibilidade de muitos e se propagou rapidamente dividindo opiniões quanto a veracidade da informação.

O Blog Boatos.org, conhecido por rastrear boatos divulgados na Internet e confirmar sua veracidade, afirmou ontem que a notícia é falsa, o que se constata não só pelas fontes não confiáveis que divulgaram a notícia, bem como pela simples busca do Decreto no site do Planalto, onde não consta qualquer anotação de revocação, assim como por inexistirem publicações no Diário Oficial nesse sentido.

Discussões à parte quanto o que é certo ou errado em relação ao Decreto e a tratativa dispensada aos advogados em razão dele, a mensagem é: cautela com as informações compartilhadas na Internet, confiar desconfiando, sempre, ou seja, antes de compartilhar confirme se a fonte original é confiável e, sempre que possível cheque a informação vinculada.

17 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

um artigo sobre o assunto foi publicado aqui no jusbrasil... continuar lendo

Verdade. Vi isso aqui no site também. continuar lendo

O que se tem sobre caráter e forma de agir na calada da noite ou nas reuniões secretas sobre as atitudes de nosso digníssimo presidente, deixam margens para acreditar em qualquer sandice que possa advir de seus atos e torna uma notícia como esta com boas probabilidades de veracidade.
Não é o que se quer, mas é o que se tem. continuar lendo

Infelizmente, acredito que esse tenha sido um dos fatores que contribuíram para que muitos acreditassem em um primeiro momento na notícia, sem muitos questionamentos. Triste realidade. continuar lendo

Independentemente do mérito da revogação do decreto, a proliferação de notícias falsa é um verdadeiro problema. continuar lendo

Excelente comentário. Infelizmente, a problemática da proliferação de notícias falsas esbarra na falta de conscientização dos internautas tanto em checar a veracidade como também da ânsia de compartilhar conteúdos que geram polêmicas, isso desde o comunicado falso da morte de algum artista até os falsos boatos sobre política e benefícios sociais, por exemplo. Ademais, a problemática se estende no âmbito da segurança da informação com a chamada "Engenharia Social" utilizada pelos cibercriminosos para orquestrar ataques na Internet com a disseminação de malwares por meio de falsas propagandas e ofertas de brindes, aproveitando-se justamente da falta de conscientização das pessoas em checar as fontes, links e informações. Ou seja, tudo nos leva para a falta de conscientização e educação digital dos internautas no que tange a proliferação de informações sem a devida e mínima verificação.

Obrigada por compartilhar sua opinião. continuar lendo

Como ultimamente se dá importância para coisas pífia. Como nós advogados gostamos do que esta escrito no papel, na lei fala que ter bacharel e possuir OAB é considerado doutor?

Assim como o pedreiro é pedreiro, o advogado é advogado.

As fake news se dão justamente por se darem tanta importância a elas. continuar lendo